AL Seguros

Mercado de fusões e aquisições em Portugal a bom ritmo

O mercado de fusões e aquisições em Portugal registou um total de 153 transações entre janeiro e julho de 2016, num aumento de 5,52% em relação ao mesmo período do ano passado. O volume total movimentado neste período foi de 6,23 mil milhões de euros, tendo em conta que apenas 65 operações tiveram o seu valor divulgado, segundo o Relatório Mensal Ibérico elaborado pelo TTR.

Especificamente em julho, foram registadas 26 transações, numa progressão de 30% em relação ao mesmo período do ano de 2015. Já em relação ao valor total movimentado (tendo em conta apenas as operações com valor divulgado) 286,44 milhões de euros, num recuo de 63,28% em relação ao mesmo período do ano passado.

Entre janeiro e julho de 2016 os subsetores mais ativos do mercado luso foram: Imobiliário; Financeiro e Seguros; Tecnologia; e Saúde, Higiene e Estética, respectivamente.

Importa ainda destacar que o segmento Imobiliário registou uma queda de 4,35% no número de operações em relação ao mesmo período de 2015; assim como o Financeiro e Seguros, Tecnologia e Saúde, Higiene e Estética registaram aumento, de, respetivamente, 31,25%, 17,65% e 50%.
 

Aquisições feitas por empresas estrangeiras em Portugal (Inbound) 

Em relação as aquisições realizadas por empresas estrangeiras em Portugal, foram registadas 58 operações no acumulado do ano de 2016. Com destaque para a Espanha, o principal investidor estrangeiro, com 14 transações que movimentaram 2,47 mil milhões de euros. O segundo maior investidor estrangeiro de Portugal são os EUA com 13 operações que movimentaram 109,68 milhões de euros. O subsetor que mais tem atraído investimentos estrangeiros é do Tecnologia seguido pelo subsetor Financeiro e Seguros.


Empresas portuguesas adquirindo empresas estrangeiras (Outbound)

Em relação a empresas portuguesas adquirirem participações em empresas estrangeiras foram registadas duas aquisições em Espanha, e uma aquisição em França, no Brasil, no Reino Unido, em Angola e na Alemanha. Estas empresas investiram nos subsetores do Imobiliário; Marketing e Publicidade; Tecnologia; Química e Materiais Químicos; Distribuição e Retail;  Turismo, Hotelaria, Restaurantes; Vidro, Cerâmica, Papel, Plásticos e Madeiras e Energia Eólica.

OJE, 16/08/2016