AL Seguros

Exportadores norte-americanos ficam sem seguro de crédito nas exportações para África

As empresas norte-americanas deixaram de beneficiar da agência oficial de seguros de crédito às exportações para África, colocando em causa negócios no valor de mais de mil milhões de euros, no período de Janeiro a Julho de 2014.

"À meia-noite de 01 de Julho, a autorização do Banco de Exportações e Importações [Ex-Im, no original em inglês] expirou devido à inação do Congresso" norte-americano, escreve o Instituto Brookings, instituição de pesquisa norte-americana, numa nota assinada por Amadou Sy, diretor da Africa Growth Initiative.

O Ex-Im é a agência oficial de crédito às exportações norte-americanas, estando focada em três regiões do mundo, equipando as empresas norte-americanas com as ferramentas de financiamento para competirem em mercados onde as seguradoras tradicionais preferem não apostar, ou cobram prémios demasiado altos, devido ao risco do país ou do próprio crédito, explica o académico.

De acordo com o Instituto Brookings, uma das zonas mais afectadas é a África subsariana, que em 2013 beneficiou de 118 seguros de crédito no valor de 600 milhões de dólares, "beneficiando 35 dos 49 países" desta região.

Só nos primeiros sete meses do ano passado, o Ex-Im autorizou 1,1 mil milhões de dólares para esta região, totalizando mais de 5 mil milhões de dólares nos últimos cinco anos, principalmente vocacionados para as exportações das pequenas e médias empresas.

Dinheiro Digital com Lusa