AL Seguros

Banco Mundial aumenta financiamento para 14 mil milhões de dólares

"O pacote vai fortalecer os sistemas nacionais para a preparação para a crise de saúde pública, incluindo a contenção da doença, o diagnóstico, o tratamento e o apoio ao setor privado", acrescenta-se no texto.

A CFI, o membro do Grupo Banco Mundial para o setor privado, "vai aumentar o financiamento disponível para 8 mil milhões de dólares [7,5 mil milhões de euros] enquanto parte do pacote de 14 mil milhões, aumentando face aos 6 mil milhões de dólares [5,6 mil milhões de euros] anteriores, para apoiar as empresas privadas e os seus empregados afetados pela crise económica motivada pela propagação da covid-19", segundo o comunicado.

"É essencial que encurtemos o tempo até à recuperação; este pacote fornece apoio urgente aos negócios e aos seus trabalhadores para reduzirem o impacto económico e financeiro da propagação da covid-19", escreveu o presidente do Banco Mundial, David Malpass, citado no comunicado.

As verbas anunciadas "vão ajudar a dar uma linha de salvação para as micro, pequenas e médias empresas, que são mais vulneráveis aos choques económicas", conclui a instituição multilateral financeira.

Este apoio junta-se a outros já anunciados por instituições, bancos centrais e governos um pouco por todo o mundo, num valor que já ultrapassa os seis biliões de euros.

Entre as medidas anunciadas está o pacote de aumento da liquidez dos mercados financeiros aprovado pela Reserva Federal e o Tesouro dos Estados unidos, no valor de 1,1 biliões de euros, a que se junta os mais de 925 mil milhões de euros do Fundo Monetário Internacional, os 750 mil milhões de euros do Banco Central Europeu em compra de títulos de dívida pública e privada e a mobilização de investimentos no valor de 37.000 milhões de euros pela Comissão Europeia para atenuar a epidemia e permitir aos países utilizarem os 8.000 milhões de euros recebidos por fundos estruturais que não utilizaram e que agora teriam que devolver.


Notícias ao Minuto, 20/03/2020