AL Seguros

Há mais empresas exportadoras a falhar pagamentos aos bancos

As situações de incumprimento das empresas continuam a aumentar e há mais exportadoras que não conseguem pagar a tempo os empréstimos aos bancos, mostram dados publicados nesta terça-feira pelo Banco de Portugal. Desde o ano passado que este indicador tem vindo a agravar-se, apenas com algumas interrupções mensais pelo meio. Em Agosto já 7% dos empréstimos concedidos às exportadoras correspondiam a crédito vencido.

O malparado das empresas voltadas para os mercados externos está a aumentar interruptamente desde Fevereiro, mas foi há mais de um ano que houve um “salto”, quando de Julho para Agosto de 2015 o crédito em incumprimento passou de 3,8% para 5,1%.

A partir daí, mantive-se sempre acima dos 5%, mesmo com oscilações mensais, até em Abril deste ano superar a barreira dos 6% e aumentar progressivamente a partir daí até representar 7% dos empréstimos concedidos às exportadoras. São 1236 milhões de euros de um total superior a 17.650 milhões de euros de crédito.

Para estes dados, o Banco de Portugal considera como exportadora uma empresa que tem pelo menos metade do volume de negócios com origem nas exportações ou pelo menos 10% quando o montante vendido ao estrangeiro fica acima de 150 mil euros.

Além do aumento do peso do malparado, também o número de exportadoras com crédito vencido está a agravar-se num momento em que as vendas de bens para o exterior estão em queda para mercados importantes para Portugal, como Angola. Em Agosto, 10,6% das companhias estavam em incumprimento, o que compara com 8,3% um ano antes.

Em todo o tecido empresarial, quase 30% das sociedades têm crédito vencido, problema que é sobretudo visível nas micro e pequenas empresas, segmentos onde o rácio de incumprimento em relação ao volume dos empréstimos é também o mais elevado.

No conjunto das sociedades não financeiras, 16,7% do crédito concedido pelos bancos são empréstimos vencidos, o equivalente a 13.448 milhões de euros (face a 80.527 milhões de euros do stock de empréstimos). Quanto maior é a dimensão das empresas, menor é tendencialmente a percentagem de incumprimento: o rácio é de 14,8% do volume dos empréstimos das pequenas empresas, de 12,9% nas médias empresas e de 4,3% nas grandes.

Outro dado que as estatísticas do BdP mostram é que os empréstimos concedidos ao conjunto das empresas continuam a diminuir: a variação anual registada em Agosto foi de -2,5%, com uma quebra de menor nas exportadoras (uma variação de -0,3%).

Quanto aos particulares, o banco central refere que os indicadores de incumprimento “não se alteraram relativamente ao mês anterior: o rácio de crédito vencido manteve-se em 5,2% e a percentagem de devedores com crédito vencido em 14,1%”. Os valores estabilizaram relativamente ao crédito à habitação, onde o incumprimento abrange 3,1% do montante concedido, e aumentou ligeiramente no crédito ao consumo, onde o rácio é de 14,2%.

Público, 27/09/2016